O VERSO…

O Rio de Janeiro, definitivamente, é um estado de contrastes. Que o digam os últimos indicadores do Ministério da Educação sobre o estado da arte do ensino médio nesta unidade da federação que mais sofreu com a transferência da capital federal para Brasília no final dos anos 1950…

No ranking do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), o Rio de Janeiro brilha tanto na ponta quanto no final da tabela. Enquanto as suas escolas particulares ocupam os primeiros lugares em desempenho dos seus alunos, a rede estadual de educação ocupa o final da lista – mais especificamente, ocupa a sexta posição entre os estados da federação, atrás do Rio Grande do Sul, Distrito Federal, Santa Catarina, Paraná e São Paulo. Ou seja, the good, the bad and the worst…

No que tange à evasão escolar, o Rio de Janeiro segue a média nacional: 40% dos alunos que ingressam na primeira série do ensino médio não chegam a concluir o curso!

Em uma visão mais abrangente, isso significa que um dos principais desafios – além de outros tantos – da educação brasileira diz respeito ao ensino médio. Outrora uma etapa necessária para o ingresso na educação superior, o ensino médio vem sendo literalmente deixado de lado pelos nossos jovens, em especial os mais carentes e em situação de risco…

Qualquer adolescente sabe – e nós fomos um deles em um determinado período de nossas vidas – que a escola, de um modo geral, é muito chata. Pouco interativa e participativa, excessivamente informativa e escassamente formadora, reprodutora com pouco espaço para crítica e produção de autoria, dotada de professores mal-preparados e com currículos vetustos. Além disso, os baixos salários, as miseráveis condições de trabalho e a desmotivação do corpo docente contribuem para que o aluno se identifique cada vez menos com ela.

Como se isso não bastasse, a relação entre a escola e as novas tecnologias é bastante discreta, quanto não tensa e eivada de preconceitos e incompreensões. Muitos educadores acham que a tecnologia irá acabar com a sala de aula e com o trabalho do professor – a bem da verdade, em algumas instituições de ensino privadas mais preocupadas com o lucro e não com a qualidade, infelizmente isso vem se tornando a realidade. No entanto, é necessário dizer, muitos professores são info-excluídos, tendo sido preparados para formar alunos em uma concepção de escola que remete aos anos 1950 e 1960. Inclusive, muitos docentes não tem dinheiro suficiente para pagar as prestações de um computador, muito menos assinar uma conexão de internet banda larga decente – a propósito, será que isso existe no Brasil?…

Por outro lado, é preciso assinalar que a maioria esmagadora desses alunos – excetuando-se os inscritos em programas de Educação de Jovens e Adultos (EJA) – estão na adolescência, uma fase turbulenta e dramática na vida de qualquer indivíduo. As problemáticas que atravessam essa fase são inúmeras: identidade sexual, abuso de drogas e outras substâncias estimulantes, violência e comportamento anti-social, além da questão do emprego – algo fundamental quando estamos falando de jovens carentes e em situação de risco. Os principais motivos para a evasão escolar dos jovens residem tanto na necessidade premente de trabalhar para contribuir com o sustento da família, quanto no aspecto desmotivador e pouco criativo do ambiente escolar.

Ou seja, se resolvemos o problema da entrada das nossas crianças no ensino fundamental com a quase-universalização do sistema, e ampliamos as vagas e o sistema de financiamento para o ensino superior, o ensino médio é o atual “primo pobre” das iniciativas educacionais em nosso país.

A experiência mostra, entretanto, que o que pode ser um deserto de políticas públicas, pode proporcionar o surgimento de estratégias criativas e inovadoras…
Anúncios
  1. Nenhum comentário ainda.
  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: