Início > Botafogo, Campeonato Carioca, Flamengo, Futebol, Maracanã, Rio de Janeiro > ENQUANTO ISSO, AQUI NO RIO…

ENQUANTO ISSO, AQUI NO RIO…

… o Campeonato Carioca está indefinido. 2 X 2, em uma partida digna de uma final: tensa, truncada e com cada time correndo atrás da bola como se esta fosse um prato de comida!

O Flamengo começou melhor, abriu o marcador com um gol de pênalti de Juan, após uma besteira absurda do zagueiro Alessandro do Botafogo. Aliás, sempre nas finais, o Botafogo sempre arruma um jeito de tornar as coisas mais difíceis…

Apesar disso, o Botafogo equilibrou o jogo, e a partir da metade do primeiro tempo os seus dois principais jogadores começaram a desequilibrar. Maicosuel infernizou a defesa rubro-negra, costurando pelo meio da zaga do seu jeito meio amalucado, e o Reinaldo deslocava-se pelos flancos do campo, tornando-se uma opção de ataque perigosíssima. Resultado: o time da Estrela Solitária virou o jogo, com um gol de falta do zagueiro Juninho (onde a barreira abriu) e, depois, desempatou com uma cabeçada de Reinaldo, em meio ao congestionado miolo de zaga do Mengão.

Do lado do Flamengo, Leonardo Moura e Zé Roberto eram a negação em campo; e o centroavante Emerson, um “bonde”, um beque de “totó”“pembolim” para os meus leitores paulistas -, pois a bola batia nele e voltava! Também, pudera, o cara joga de costas para o gol…

Aliás, de “bonde” o Flamengo está bem servido: é Emerson, é Josiel, é Obina! É só escolher…

Veio o segundo o tempo, e a sina continuava até que dois lances decidiram a sorte do jogo: o Botafogo perdeu Reinaldo e Maicosuel, ambos ao mesmo tempo por contusão. E o time não tem um banco à altura para repor esses jogadores. Por isso, o alvi-negro se desarrumou todo em campo. Daí o Flamengo, empurrado pela raça do time – e pelo coração da torcida, que tomou de assalto o Maraca, e gritou sem parar até o final da partida -, imprensou o adversário até conseguir o empate, no finalzinho do jogo. O gol, um exemplar prototípico da raça rubro-negra, foi originado de um chute cruzado do volante Williams, após ter brigado pela bola na lateral do campo, e ter contado com a ajuda do ZAGUEIRAÇO alvi-negro Emerson. Tô começando a desconfiar do cara, pois é o segundo jogo contra o Mengão que o cara marca contra…

Aliás, por ironia do destino, achei o gol de Williams muito parecido com o gol de “barriga” do Renato Gaúcho, quando o Fluminense ganhou do Flamengo na final do Campeonato Carioca de 1995.

O empate de hoje tornou ainda mais equilibrada a decisão no próxmo domingo. Se hoje foi difícil, na semana que vem a partida promete ser mais eletrizante e tensa, o que vem se tornando a tônica dos embates entre estes dois times, cuja rivalidade vem marcando o início do futebol carioca nesse terceiro milênio. Portanto, meus caros leitores, separem a sua cota de isordil, lexotan e rivotril, pois semana que vem tem mais!

Eu, por segurança, já separei a minha figa-de-guiné, os meus patuás, as imagens de São Jorge, São Sebastião, Santa Sara Khali, São José, o meu guerreiro inca Tumi, a minha coruja de Minerva, a divindade egípcia Seth, tudo disposto com esmero e arte na minha escrivaninha, a me proteger das intempéries da vida…
Anúncios
  1. Nenhum comentário ainda.
  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: