Início > Atentado, Líbano, Oriente Médio, Política > MAIS UM ATENTADO A BOMBA NO LÍBANO…

MAIS UM ATENTADO A BOMBA NO LÍBANO…

Ontem, foi morto mais um parlamentar libanês, logo às vésperas de uma das eleições presidenciais mais tensas dos últimos anos no País dos Cedros. A vítima dessa vez foi mais um parlamentar cristão maronita, Antoine Ghanem, filiado ao histórico Partido Falangista. O atentado foi no bairro cristão de Sin el-Fil, em Beirute ocidental. Além do parlamentar, mais 5 pessoas foram mortas e 30 outras feridas gravemente. A violência da explosão arremessou o carro do parlamentar por cerca de 50 metros, destruindo lojas, vidraças e ruas ao redor, colocando o bairro às escuras e tornando o sítio uma verdadeira praça de guerra…
Ghanem foi o sexto político anti-Síria e pró-Ocidente a ser assassinado, desde a morte em 2005 do bilionário Primeiro-Ministro Rafik Hariri. Há uma forte suspeita no ar de que esses “assassinatos pontuais” têm sido fomentados pelo governo Sírio, acusação esta refutada com veemência por Damasco. Por ter ocorrido às vésperas das eleições presidenciais, esse atentado é mais um desafio à estabilidade política do regime libanês, e muitos analistas internacionais temem uma radicalização cada vez maior de ambas as facções políticas na região. O que está em jogo, dizem eles, é muito menos a sucessão presidencial, e muito mais a própria sobrevivência do estado libanês…
A tensão no ar é grande dada a saída do atual presidente Emile Lahoud, considerado um político aliado ao regime de Damasco. O embate entre as facções pró e anti-Síria dominam o horizonte político do país, e a comunidade internacional vêm demonstrando uma crescente preocupação com a escalada de assassinatos aos membros do Poder Legislativo. A situação ainda se torna mais grave, uma vez que basta assassinar mais um representante do parlamento para que o governo eleito democraticamente no Líbano caia por terra…

O temor é que os fatos que assombraram o país durante a Guerra Civil de 1975 a 1990 possam se repetir: a formação de dois governos rivais que acabem se engalfinhando abertamente pelas ruas de Beirute, divindo novamente a cidade. A divisão política do país está entre o Presidente pró-Síria Emile Lahoud e o Primeiro-Ministro pró-EUA Fouad Siniora, que desejam – cada um a seu modo – colocar um político aliado no Palácio de Baabda. Outra variável desestabilizadora do sistema é o Hezbollah, grupo guerrilheiro de origem síria, que ameaça não dar quórum para a eleição de Primeiro-Ministro, caso o candidato apresentado não esteja alinhado com as suas reinvindicações.

Diante desses fatos lamentáveis, a pergunta que não quer calar é: a quem interessa a desestabilização da situação política do Líbano? E até quando esses assassinatos continuarão impunes? Será que os “senhores da guerra” querem produzir mais uma Guerra Civil?
Anúncios
  1. Nenhum comentário ainda.
  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: