Início > Eventos, Geral, Mercado Editorial, Rio de Janeiro > O ESCRIBA NA BIENAL DO LIVRO

O ESCRIBA NA BIENAL DO LIVRO

Após um mui digno almoço, esse Escriba partiu para visitar a XII Bienal Internacional do Livro, no pavilhão de convenções do Riocentro, que vai até o domingo que vem.

Normalmente, não costumo comparecer a esses mega-eventos. Além de serem muitos cheios, o que por vezes me incomoda na apreciação das ofertas disponíveis, a tietagem explícita e o clima de oba-oba também me incomodam bastante. Além disso, muito do que se encontra hoje em dia está disponíveis em livrarias físicas e virtuais, o que tira um pouco a graça da feira. Porém, resolvi enfrentar de frente a minha misantropia, e fui perambular pelos pavilhões lotados de pessoas…

A cada ano que passa, o evento se torna maior e mais bem cuidado – o que demonstra uma tendência clara da profssionalização do setor livreiro no país. Além dos estandes das grandes editoras, como a Companhia das Letras, Record e Rocco, chama a atenção crescenta entrada de grupos estrangeiros em nosso mercado. O mega estande do grupo Santillana, líder de mercado na Espanha e na América Latina, e dona dos selos Objetiva (interesse geral), Moderna (livros didáticos), Alfaguara (ficção), Aguilar (não-ficção), Taurus (ensaios), Suma (entretenimento) e Ponto de Leitura (livros de bolso), é uma prova desta nova configuração do mercado livreiro. Outro exemplo é o da Editora Campus, poderosa editora de negócios que tem como controladora o mega-conglomerado holandês Elsevier – uma das editoras mais antigas do mundo.
Outro aspecto é a consolidação de grandes grupos nacionais, a partir de um frenético movimento de fusões de aquisições de selos editoriais, com o intuito de fazer frente à invasão estrangeira no país. A Editora Guanabara Koogan (livros médicos), dona dos selos LTC (livros didáticos), Forense (livros jurídicos) e LAB (livros médicos), criou uma holding a fim de buscar sinergias, diminuir custos e proporcionar uma gestão mais integrada dos diferentes selos.
Além das editoras universitária, que têm um belo estande conjunto na entrada do primeiro pavilhão, destacam-se editoras tradicionais como ArtMed, Papirus e Cortez, e algumas novas editoras com estandes bastante grandes como Madras (livros esotéricos, religiosos e ocultismo) e Cosac & Naify – uma editora de livros de arte, arquitetura, moda e literatura -, que tem uma proposta de negócios bastante ousada e interessante. As editoras católicas (Paulinas, Paulus) e espíritas também têm grandes espaços, o que indica uma demanda aquecida do mercado para esse tipo de literatura.
Outro destaque são os livros para a criançada e para os adolescentes. Impulsionadas por sucessos como Harry Potter e Senhor dos Anéis, as editoras resolveram apostar em livros educativos, RPGs e estórias de narrativas fantásticas e de ficção científica. Além disso, o stand da Editora Senac de São Paulo tem um belo espaço multimídia, apostando na integração da lieitura com as novas tecnologias. Ou seja, modernidade à serviço da tecnologia…
Como não poderia deixar de ser, fui nos stands das editoras que publicaram os meus livros – FGV e LTC. Estão lá, bonitinhos, bem destacados na exposição, e ainda pude conversar com alguns dos meus leitores. E, para o meu contentamento, os meus livros estão tendo uma boa procura!
Isso é que é uma ótima forma de começar a semana…
Anúncios
  1. Nenhum comentário ainda.
  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: